Um dos tipos mais comuns de eczema entre mulheres é também uma preocupação na hora de cuidar da beleza. A chamada dermatite atópica, doença crônica da pele,  requer cuidados no momento de escolher um cosmético ou produto para a pele, mas, segundo especialistas, não precisa ser um impedimento para preparar – e embelezar – o rosto para uma festa ou compromisso especial.

Embora muitos pensem que a dermatite, também conhecida como eczema atópico, atinge somente as mulheres, é importante sinalizar que homens podem sofrer igualmente com erupções que coçam e apresentam crostas, normalmente nas dobras dos braços e na parte de trás dos joelhos.

E, embora poucos saibam, a doença tem origem genética e pode ser associada a um quadro de doenças respiratórias, como asma e bronquite. “A pele se apresenta extremamente reativa a estímulos externos, como frio e calor, produtos químicos, apresentando variações de intensidade e acometimento de partes do corpo. É mais comum na face e dobras das pernas e braços, coçando muito, deixando aspecto avermelhado e descativo, confundindo muito com quadro alérgico”, explica a Dra. Ana Célia Xavier, dermatologista da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo.

A especialista alerta que a pele que sofre de dermatite atópica necessita de muita hidratação e uso de produtos para pele sensível. Ela pode ocorrer desde os primeiros anos de vida, podendo melhorar ou piorar durante o crescimento do indivíduo. E geralmente um médico só é procurado quando os sintomas de coceira e ardência são muito fortes.

Dra Ana faz suas recomendações. “Há a necessidade do uso de medicamentos para controle. Mas não impede o cuidado estético da pele, tanto para homens, quanto para mulheres. Nem o uso de maquiagem. O mais difícil é acertar o produto, que seja menos reativo, hipoalergênico e que trate e hidrate bem a pele. Geralmente, indicamos dermocosméticos formulados após muita pesquisa e teste, com embalagens apropriadas para garantir estabilidade e esterilidade do produto e maquiagem, o que pode encarecer estes produtos, mas também oferece mais segurança no uso”, conclui.

A dermatologista lembra que, mesmo com todos estes cuidados, a recomendação ideal é procurar um médico, aos primeiros sintomas, e manter este acompanhamento durante o tratamento. É também imprescindível que os diagnosticados com dermatite fiquem bastante atentos aos componentes de cosméticos e dermocosméticos, antes do primeiro uso.

Tweet about this on TwitterShare on FacebookPin on PinterestShare on Google+Email this to someone